Artigos

ANSIEDADE: COMO AJUDAR SEM ATRAPALHAR?

Muitas vezes, no desejo de ajudar alguém que está sofrendo de ansiedade, especialmente um amigo ou pessoa da família, apelamos para chavões ou lugares comuns que, em vez de ajudar, podem incomodar ou atrapalhar.

Saiba quais são as principais coisas que NÃO DEVEM SER DITAS a alguém que está sofrendo de ansiedade:

1. “Muitas pessoas têm problemas piores que os seus”

Ao dizer isso você pode achar que está ajudando a pessoa a se dar conta que seu problema não é tão grande quanto ela imagina e até mesmo fazer a pessoa se sentir grata por não ter problemas "piores". Você acha que essa frase poderá ajudar a pessoa a se acalmar e encarar as coisas com mais serenidade. 

NÃO, NÃO VAI!

Na realidade, isso irá soar para a pessoa de modo muito diferente do esperado, algo como: "Você está exagerando seus problemas e não está fazendo o suficiente para melhorar. Você está sendo ingrato(a) em relação a todas as coisas boas que tem na vida."

Em vez disso, tente demonstrar compreensão, apreço e amizade, oferecendo-se para fazer algo que esteja ao seu alcance para ajudar.

Dessa forma você faz a pessoa saber que é valorizada ou amada por você e que tem alguém com quem pode contar para obter apoio e que não vai fazer julgamentos sobre como está se sentindo.

2. "Você devia tentar praticar meditação"

Meditação pode funcionar maravilhosamente ... para algumas pessoas.

Não há nenhuma solução "tamanho único" para ansiedade. Apontar uma solução que pode não funcionar pode levar à frustração ou sensação de inadequação e incapacidade que pode agravar mais ainda a situação.

Em vez disso, pergunte sobre o que a faz se sentir melhor, que tipos de coisa pode lhe dar prazer e alegria ou melhorar seu dia. Há muitas maneiras de abordar isso, mas, o importante é que dessa forma estará ajudando a pessoa a desenvolver seu próprio plano de ação ao invés de oferecer soluções prontas, mágicas ou milagrosas baseadas apenas em algo em que ouviu falar que serviu para outra pessoa.

3. "Tudo vai ficar bem"

A ansiedade pode causar sérias perturbações. A pessoa provavelmente está consciente das situações e circunstâncias que estão causando seus sentimentos e, certamente, já fez muitas tentativas para se sentir melhor ou para se convencer de que tudo vai melhorar e ficar bem. Possibelmente muitas outras pessoas já lhe disseram, muitas vezes, que "tudo vai ficar bem", sem que isso tenha feito qualquer diferença.

4. "Apenas trate de ser feliz!"

É um bela ideia que alguém possa apenas decidir ser feliz e passar a ter um dia maravilhoso. Mas, as coisas não funcional assim de forma tão simples. Se fosse assim, não existiram transtornos como os de ansiedade e tudo seria resovido da forma mais simples possível sem precisar que milhares de psiquiatras, psicólogos, psicofarmacologistas, neurofisiologistas e outros tantos profissionais se debruçassem durante anos sobre o problema para encontrar melhores formas de enfrentá-lo.

Em vez disso, tente perguntar à pessoa o que você poderia fazer para ajudá-la a se sentir melhor. Isso coloca o poder em suas mãos e permite que comunique seus sentimentos e veja os resultados.

5. "Isso é algo que está apenas em sua cabeça"

De fato, a ansiedade é um transtorno que está cheio de problemas que existem somente na mente da pessoa. Mas, focar nesse fato coloca alguém que sofre de ansiedade em um estado de conflito no qual fica em dúvida sobre seus sentimentos e até onde eles são ou não "justificados", podendo trazer mais confusão ou culpa do que algum alívio.

Em vez disso, tente ajudar a pessoa a afastar sua mente dos pensamentos que estão alimentando sua ansiedade, mesmo por um pequeno espaço de tempo, ajudando-a a se engajar em alguma atividade que a possa distrair e que possa ser agradável ou divertida.

6. “Que tanta coisa você tem para se preocupar?”

Esta costuma ser uma das primeiras "ideias luminosas" que aparecem quanto alguém divide seus sentimentos de ansiedade. É compreensível que você desconheça os detalhes sobre o que faz a pessoa se sentir ansiosa, mas essa é uma frase que não apenas não ajuda como pode piorar mais a situação, pois está trivializando, subestimando, possivelmente, desqualificando a luta que a pessoa está travando com suas ansiedades.

Em vez disso, pergunte se a pessoa gostaria de falar a respeioto do que a está preocupando ao invés de sugerir ou insinuar que seja alguma coisa sem maior importância.

7. “Eu sei como se sente”

A verdade é que NÃO, você provavelmente NÃO SABE! Mesmo que você também esteja sofrendo ou já tenha sofrido de ansiedade sua experiência é totalmente diferente da de qualquer outra pessoa.

Em vez disso, pergunte como a pessoa está se sentindo. Pergunte o que está se passando em sua mente e como está tentando lidar com isso. Deixe que ela descreva o quadro de sua maneira.

8. “Vamos tomar um trago que isso passa” (isso pode incluir álcool ou outras drogas, até mesmo um medicamento que você ou outra pessoa já usou ou está usando)

Bebidas alcoólicas ou outras drogas (mesmo as prescritas) podem diminuir a sensação de ansiedade por algum (pouco) tempo. Mas, pessoas que estão sofrendo de ansiedade também estão em situação de vulnerabilidade para se tornar um potencial abusador de álcool ou outras drogas e até mesmo desenvolver uma dependência química. Não encorage a pessoa a enveredar por um caminho potencialmente viciante ou destrutivo. Existem certos medicamentos que, mesmos que sejam de prescrição médica (como os "tarja preta") podem causar dependência e mais prejudicar do que ajudar, especialmente se não forem indicados por um médico.

9. “Então ... quando você vai procurar ajuda?”

Não há nada errado em sugerir que alguém que esteja sofrendo de ansiedade busque ajuda profissional. Mas, não tente pressionar a pessoa nesse sentido. Admitir que precisa a juda profissional nem sempre é um processo fácil. O tratamento pode ser um processo muito invasivo e as pessoas só devem buscar no momento em que estiverem prontas para isso. Não acrescente precipitadamente mais uma coisa sobre a qual inicialmente a pessoa pode ficar ainda mais ansiosa.

10. “Isso é apenas uma fase pela qual você está passando”

Pode ser tentador levantar essa hipótese como uma forma de tentar dar conforto e esperança de que o problema "vai passar logo". De fato, pode ser realmente algo circunstancial e passageiro, mas, há muito mais do que simples circunstâncias que podem fazer com que alguém sinta ansiedade: há fatores como genética, fisiologia cerebral e outras condições de saúde que podem estar afetando ou causando o problema. Não suponha saber tudo sobre o que está se passando. Até mesmo profissionais treinados e experientes podem ter dificuldade em identificar todos os aspectos envolvidos.

Rubens Mário Mazzini Rodrigues, MD

Médico Psiquiatra - Porto Alegre - RS - CREMERS 9760
A Psiquiatria para mim, mais do que uma profissão, é um caminho para a realização de meu propósito de vida, que é a dedicação à tarefa de buscar, encontrar e ajudar a desenvolver meios de elevar o nível de consciência da humanidade em geral e ajudar a melhorar a qualidade de vida pessoal e dos relacionamentos humanos, de modo a favorecer o desenvolvimento de uma sociedade mais capaz de valorizar e promover a vida, promover a dignidade humana e, assim, contribuir para incrementar as possibilidades de satisfação, felicidade e realização para todo ser humano. Na minha visão a Psiquiatria vai além de apenas diagnosticar e tratar doenças através de uma abordagem exclusivamente organicista e farmacológica. Procuro praticar a Psiquiatria integrada com a Psicoterapia e quaisquer outras técnicas e práticas que possam contribuir para a promoção da saúde e qualidade de vida. A boa saúde mental é decorrência de um cuidado geral e integrado pela vida em todos os aspectos: orgânico, mental, emocional, existencial e espiritual.
A PSIQUIATRIA é o ramo da Medicina que lida com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das doenças mentais, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, tais como Depressão, Transtornos de Ansiedade, Transtorno Bipolar, Esquizofrenia entre outros. A palavra Psiquiatria deriva do Grego e quer dizer "arte de curar a alma".

Contato e Marcação de Consultas

Consultório: Rua Luciana de Abreu 471 sala 604 - Moinhos de Vento - Porto Alegre
Telefone: 51 3222 8000 - Celular: 51 98127 4595 - E-mail: rubens.mazzini@yatros.com.br

Política de Uso de Conteúdo

  • Qualquer conteúdo desse site pode ser utilizado e compartilhado livremente desde que citada a fonte ou incluído um link para o endereço do site:
  • http://www.yatros.com.br

Facebook